Fundação de Ciência e Tecnologia
Bem-Vindo!
31 de Março de 2020, 12:33
Siga-nosCientec RSSCientec no Twitter
Página Inicial  >  Notícias  >  Carvão é pauta no Ciclo de Sem
Secretaria do Trabalho e Desenvolvimento Social
Brasão Governo do Estado do Rio Grande do Sul
Imprimir   Fechar
Notícias
Pesquisadores falaram sobre as potencialidades do carvão
Pesquisadores falaram sobre as potencialidades do carvão - Foto: Thamires Braz da Silva

Carvão é pauta no Ciclo de Seminários da Cientec

Duas palestras sobre carvão integraram o ciclo de Seminários da Cientec, compondo a programação da Semana Estadual de Ciência e Tecnologia.

Na quinta-feira, 22, o assunto foi acompanhado por estudantes, representantes da CRM – Companhia Rio Grandense de Mineração, entre outros profissionais interessados no tema.

O geólogo Geraldo Mario Rohde, doutor em ciências ambientais e pesquisador do Departamento de Geoprocessamento da Cientec realizou a palestra "Utilização das cinzas como imagem positiva para o carvão".

Rohde iniciou sua apresentação fazendo uma comparação entre a quantidade de cinzas emitidas pelos vulcões e as cinzas geradas em centrais termelétricas, mostrando que as cinzas artificiais, cerca de 780 milhões de toneladas/ano, ultrapassam em muito as naturais. Apresentou os polos produtores de cinza no RS: Candiota e Região Metropolitana. O pesquisador demonstrou como as cinzas podem evoluir da situação de resíduos para minério e coprodutos da conversão termelétrica.

Tendo em vista que o carvão gaúcho gera cerca de 50% de cinzas quando é utilizado, Rohde reafirmou sua ideia de que "as cinzas são a outra metade do carvão" e devem ser utilizadas como matérias primas, sendo o diferencial competitivo das centrais termelétricas.

Os principais tipos de utilização no mundo foram apresentados, havendo atenção para os projetos da Cientec, na temática de pavimentos, blocos e tijolos, zeólitas, bem como o acompanhamento de experiências como o cimento Portland, cal pozolânica e dormentes inovadores.

Rohde conclui dizendo que “as cinzas passam a melhorar a imagem do carvão gaúcho e constituem verdadeiro diferencial competitivo da geração termelétrica em relação às outras formas de energia”.

 

Potencialidades do carvão mineral gaúcho

 

O Dr. Guilherme de Souza destacou as potencialidades do carvão mineral gaúcho, apontando as diversas oportunidades para se explorar esse recurso abundante do Estado (90% do total no país, sendo 3,5 vezes superior à energia que o país possui em termos de reservas de petróleo) , bem como a sua pouca exploração a despeito de ser uma energia firme (independente de fatores climáticos) e da crise energética do país.

O pesquisador do Departamento de Engenharia de Processos da Cientec também falou da possibilidade de explorar o carvão mineral sem agredir o meio ambiente além do impacto que outras fontes com maior participação na matriz energética promovem. Além da geração de energia elétrica por meio da termeletricidade, apontou alternativas promissoras para o uso do carvão mineral, agregando maior valor a este recurso fóssil.

De acordo com Souza por meio da carboquímica, o carvão mineral poderia suprir diversas demandas do Estado, dentre as quais o gás natural sintético para uso veicular, domiciliar e industrial (o qual é importado de países como a Bolívia), combustíveis líquidos como gasolina e diesel; metanol, insumo químico, igualmente importado, com potencial de atender a cadeia de biodiesel ou como intermediário para a síntese de produtos químicos, podendo ser uma alternativa para suprir a nafta ao Polo Petroquímico de Triunfo-RS; hidrogênio para atender a indústria de transformação e células a combustível e fertilizantes ( insumo importado e fundamental para atender ao agronegócio), para o qual o moderado a alto teor de enxofre dos carvões gaúchos seria um atrativo.

Falou ainda da demanda do setor siderúrgico, que importa todo o carvão mineral para este fim no país, enquanto que o carvão mineral gaúcho poderia ser beneficiado ou misturado para atingir os requisitos necessários, ou explorado diretamente (pela rota de redução direta do ferro).

Publicação 26.10.2015 às 16:36
Fundação de Ciência e Tecnologia
Rua Washington Luiz, 675
Porto Alegre - RS. CEP: 90010-460
E-Mail: cientec@cientec.rs.gov.br - SEDE: +55 (51) 3287-2000 Fax: +55 (51) 3226-0207
CAMPUS: +55 (51) 3439-6300
Orçamento
Incubadora Sede
Incubadora Sede

Incubadora

O Departamento de Incubadoras e Extensão Tecnológica foi criado em resposta as políticas nacionais de estímulo à inovação com intuito de promover a aproximação e integração da CIENTEC, principal instituição pública de P&D do estado, com o setor produtivo local. A ele está vinculada a incubadora mult...
Acessar o hotsite
Expediente
Rua Washington Luiz, 675
Porto Alegre - RS. CEP: 90010-460
Horário de Atendimento
Sede: das 8:30 às 12:00 e das 13:30 às 17:00
Campus: das 9:00 às 12:00 e das 13:00 às 16:00
de segunda à sexta.
Contatos
E-mail: cientec@cientec.rs.gov.br
Fone:
SEDE: +55 (51) 3287-2000 Fax: +55 (51) 3226-0207
CAMPUS: +55 (51) 3439-6300
Desenvolvido pela PROCERGS